Tesouro Direto: Como Funciona e Por que Você Deve Investir

Tesouro Direto: Descubra como funciona, se vale a pena e como começar a investir.

Imagine um investimento que é mais seguro que a poupança e que ainda proporciona uma rentabilidade muito superior, muitos diriam que isso não existe, certo?

Mas a boa notícia é que esse tipo de investimento existe sim e se chama Tesouro Direto. Nesse artigo irei explicar em detalhes como funciona o Tesouro Direto, como investir, suas vantagens e desvantagens.

O que é o Tesouro Direto e como funciona?

Explicar em detalhes como funciona o Tesouro Direto, seria tema de muitas páginas. Porém resumidamente, pode-se dizer que esse é um investimento onde você empresta dinheiro para o governo federal através do Tesouro Nacional e você recebe juros por esse empréstimo.

Mas por que governos precisam de dinheiro emprestado?

Como você deve saber todos nós pagamos impostos para “financiar” todos os serviços públicos que os governos oferecem, porém toda essa montanha de dinheiro adquirida pelos impostos ainda não é o suficientes para o governo federal pagar todas suas contas, e por isso foi criado esse tipo de investimento.

Isso é uma explicação bem resumida de como funciona e sem entrar na discussão sobre impostos.

Também é importante saber que praticamente a maioria dos países com algum desenvolvimento econômico com moeda própria, possuem títulos do Tesouro Direto disponíveis para investidores.

Agora entrando na parte dos investimentos, qualquer pessoa maior de 18 anos e com CPF regular pode fazer investimentos no Tesouro Direto, e talvez a melhor parte, o investimento mínimo é de apenas R$30 reais.

Tipos de títulos do Tesouro Direto

#Tesouro Selic

O Tesouro Selic é provavelmente o título mais popular e tem sua rentabilidade atrelada a taxa Selic, por outro lado atualmente é o título que oferece a menor rentabilidade.

Nesse momento a taxa Selic está nas mínimas históricas com um percentual de apenas 2% ao ano. Esse é um título do tesouro que tem como principal vantagem a liquidez diária sem a possibilidade de perder dinheiro ao retirar antes do prazo do vencimento, sendo ideal para reservas de emergência.

#Tesouro Pré-fixado

Como o nome sugere, os títulos pré-fixados já tem a rentabilidade pré-definida no momento da compra. Esse é um investimento perfeito para o longo prazo e principalmente quando você tem certeza que não vai precisar do dinheiro antes da data de vencimento.

Um detalhe interessante é que também existe um título pré-fixado que paga juros semestrais até a data do vencimento, sendo ideal para quem pretende ganhar renda passiva com o Tesouro Direto.

#Tesouro IPCA (atrelado a inflação)

O Tesouro IPCA é um tipo de título com funcionamento híbrido: você ganha uma rentabilidade fixa + a inflação medida pelo IPCA (índice oficial da inflação de preços).

Por exemplo, você pode ganhar 3.5% ao ano + a inflação do IPCA no período.

Além dos títulos que pagam todo o rendimento na data de vencimento, existem os títulos que pagam os cupons semestrais, também sendo perfeitos para ganhar juros acumulados no período semestral.

Os títulos atrelados a inflação possuem data de vencimento mais longas, sendo ideal para o longo prazo, como por exemplo uma renda complementar para a sua aposentadoria.

Qual é a rentabilidade do Tesouro Direto

De modo geral a rentabilidade do Tesouro Direto é baseada principalmente na taxa básica de juros que atualmente está em 2% ao ano e também varia conforme o cenário econômico do Brasil.

No caso ao investir no Tesouro Selic, a rentabilidade atual é de 2% ao ano menos imposto de renda e a taxa de 0.25% ao ano da B3. Já no caso dos outros títulos a rentabilidade já é pré-definida e também varia conforme a inflação medida pela IPCA.

Você pode conferir pessoalmente a rentabilidade atual visitando o site do Tesouro Direto.

Atualmente é possível conseguir uma rentabilidade média de 2% até em torno de 7% ao ano. Realmente não é uma rentabilidade muito alta, porém é muito superior à rentabilidade atual da poupança que fica abaixo dos 1.5% ao ano.

Taxas e custos para investir no Tesouro Direto

Investir no Tesouro Direto é simples, fácil e barato. Basicamente essas são as taxas e custos:

  • Imposto de Renda Regressivo: incide somente nos juros, começando em 22.5% se o investidor resgatar antes de 180 dias e cai para 15% para investimentos após 2 anos.
  • Taxa de custódia da B3: Existe uma taxa de 0.25% ao ano cobrada pela bolsa de valores.
  • Taxa da corretora: felizmente a maioria absoluta das corretoras não cobram nenhuma taxa, há alguns anos no passado era comum ser cobrado uma taxa de pelo menos 0.1%, mas atualmente praticamente todas as corretoras deixaram de cobrar.

Vale a pena mesmo investir no Tesouro Direto?

Você procura muita segurança e uma rentabilidade maior que a poupança?

Se a resposta for positiva, então, sim vale muito a pena investir no Tesouro Direto. Aqui vai um ponto, muito positivo: os investimentos em títulos do Tesouro Direto, são considerados como o investimento mais seguro do país.

E porque o Tesouro Direto é o investimento mais seguro do país?

Muitos investidores iniciantes imaginam erroneamente que o Tesouro Direto não é seguro pelo motivo de corrupção no governo, mas na prática, isso não acontece.

Nenhum político consegue influenciar diretamente no pagamentos do juros do Tesouro Direto. Outro ponto importante é que na prática quem está pagando os juros dos títulos do Tesouro Direto é toda a população através dos impostos que você paga, e não o governo.

Então se você procura uma rentabilidade superior ao da poupança, mas com muita segurança, com certeza o Tesouro Direto é um dos melhores investimentos.

Calote no Tesouro Direto, isso é possível?

Um tema muito recorrente, é que o governo pode simplesmente dar um calote nos investidores e simplesmente deixar de pagar seus investidores.

Agora vejamos quem são os maiores investidores do Tesouro Direto:

  • Todos os bancos do Brasil, investem no Tesouro Direto.
  • Grandes bancos fora do Brasil possuem títulos do Tesouro Direto.
  • Alguns governos de outros países investem em títulos do Tesouro Direto.
  • Fundos bilionários possuem títulos no Tesouro Direto.
  • Empresas de grande porte também investem no Tesouro.
  • Pequenos investidores como eu e você investem no Tesouro Direto, porém somos pequenas formigas, sendo que os pequenos investidores correspondem por menos de 15% do valor total investido.

Você consegue entender que a maior parte do dinheiro investido vem de mega-investidores e não de pequenos investidores?

Tente imaginar se o governo iria dar calote nos grandes bancos, governos de outros países e grandes investidores? Isso seria o equivalente ao governo disparar dezenas de tiros de metralhadora no próprio pé.

Lembrando que os títulos do Tesouro Direto são relacionados com a dívida interna, no qual o governo e Banco Central possuem controle e impressão da moeda.

Existem outros riscos ao investir no Tesouro?

Não, como eu expliquei anteriormente o Tesouro Direto é o investimento mais seguro do país, e as chances de um possível calote são zero.

Porém existem alguns detalhes que devem ser considerados.

  1. O investidor pode aplicar em um título que não seja o Tesouro Selic e perder dinheiro se resgatar antes da data de vencimento (explico melhor logo abaixo).
  2. A economia do Brasil piorar muito e existir um grande aumento de inflação.

O primeiro risco é muito simples e fácil de evitar. Já o segundo risco, não tem como fugir, porém a situação do Brasil atualmente, mesmo com todas as crises ainda é infinitamente melhor do que a situação fiscal e econômica que o Brasil enfrentava na década de 90.

E caso a inflação aumentar muito o investidor que aplicar nos títulos atrelados a inflação, consegue se proteger.

Como investir no Tesouro Direto

Agora você já sabe o que é e como funciona o Tesouro Direto, também já aprendeu que esse é disparado o investimento mais seguro, então chegou a hora de saber como investir no Tesouro Direto.

Para aplicar no Tesouro Direto é bem simples:

  1. Abra conta em uma corretora de investimentos.
  2. Deposite fundos (dinheiro) na corretora.
  3. Escolha qual título do Tesouro Direto é o melhor para você e pronto.

Entenda que você obrigatoriamente precisa abrir conta em uma corretora, pois não é possível investir diretamente usando seu banco. Tenha preferência em abrir conta em uma corretora estabelecida e de confiança como a XP Investimentos ou alguma outra.

Qual é o melhor título do Tesouro Direto?

Se você acessar o site oficial do Tesouro Direto, vai perceber que cada tipo de aplicação possui uma data de vencimento, e esse é um ponto que você deve prestar atenção.

O Tesouro Selic, é o único título em que você pode investir e resgatar seu investimento sem perdas a qualquer momento. Já no caso de todas outras aplicações do Tesouro, você deve respeitar a data de vencimento, pois ao retirar antes dessa data, pode haver uma valorização ou desvalorização do título.

Então leve isso em consideração, não invista seu dinheiro em um título de longo prazo, se você não tiver certeza se vai precisar do dinheiro antes do prazo, pois esse é o único caso específico em que você pode ver seu investimento gerar perdas.

Conclusão

Para o investidor consciente que procura uma rentabilidade maior que a poupança, e com baixo risco o Tesouro é sem dúvidas o melhor investimento da atualidade.

Uma boa ideia para quem procura segurança aliada a uma rentabilidade maior é diversificar seus investimentos entre Tesouro Direto e investimento em ações de empresas pagadoras de dividendos.