Pix: O que é, como Funciona e Por que você Deve Usar

Pix: Descubra em detalhes o que é e como funciona esse novo sistema de pagamentos criado pelo Banco Central.

Com projeto iniciado em 2018 pelo Banco Central, o Pix finalmente entrou em pleno funcionamento para toda a população no dia 16 de novembro de 2020.

Apesar de ter sido muito comentado em todos os principais sites de notícias e no meio financeiro, ainda restam muitas dúvidas por parte de um grande número das pessoas sobre seu funcionamento.

Logo abaixo você vai descobrir tudo que precisa saber sobre o Pix: o que é e como funciona esse novo meio de pagamentos e suas principais vantagens.

O que é o Pix?

O Pix é um sistema de pagamentos que foi criado pelo Banco Central com o objetivo principal de ser a evolução dos meios tradicionais de transferência e pagamento de contas como TEDs e Docs.

Como principais benefícios da implementação e uso do Pix, temos transações praticamente instantâneas além de não haver custos para pagar e fazer transferências entre pessoas físicas.

Até o momento anterior a criação do Pix, nós tínhamos apenas TED e Doc como opção para transferir dinheiro entre contas bancárias.

Apesar de uma transferência como TED ser efetivada em uma hora ou menos, a grande maioria dos bancos cobram uma taxa que varia de R$8 até R$16 ou mais para cada operação.

No caso de uma transferência via DOC, a situação é ainda pior, pois além dos custos elevados para fazer uma transação, ainda existe a demora que pode levar até 2 dias úteis para efetivação da transação.

Segundo determinação do Banco Central, todos os bancos e instituições financeiras que implementarem o Pix, estarão proibidas de cobrar qualquer valor para a utilização desse sistema.

Outro grande benefício que eu explico logo abaixo é a maior facilidade e praticidade para fazer pagamentos e transferências que o Pix proporciona em comparação aos meios tradicionais como TED e Doc.

Como funciona o Pix na prática

Para usar o Pix é muito simples e fácil, basicamente tudo que você precisa fazer é cadastrar sua chave Pix.

  1. Acesse sua conta bancária.
  2. Procure a opção de cadastrar sua chave.
  3. Escolha quais chaves deseja registrar e confirme o cadastro.

O que é uma chave dentro do Pix?

Uma chave nada mas é do que um apelido que serve como identificador único da sua conta e surgiu para simplificar as operações de pagamentos dentro do Pix.

Ao registrar uma chave Pix, você substitui todas aquelas informações que são usadas no tradicional TED ou Doc – nome do banco, agência e conta. Desse modo ao fazer uma transferência você simplesmente insere a chave do beneficiário e pronto, não precisa mais colocar agência, conta, CPF e nome do banco.

Quais tipos de chaves podem ser utilizadas dentro do Pix?

Até o momento podem ser usadas os seguintes tipos de chaves:

  • Seu CPF ou CNPJ
  • Seu e-mail
  • Número de telefone
  • Uma sequência aleatória de letras e números que é automaticamente gerada.

É possível cadastrar mais de uma chave na mesma conta bancária?

Sim, é permitido cadastrar até o limite de 5 chaves para cada conta no mesmo banco.

Existe algum tipo de chave mais segura?

Essa é uma pergunta importante. Muitos especialistas tem comentado que em tese o tipo de chave mais segura é o seu CPF ou CNPJ. E isso faz sentido se considerarmos alguns pontos:

  • Cada pessoa tem um número de CPF único que não pode ser mudado.
  • Você pode acabar perdendo seu celular e precisar de um número novo, você também pode perder ou ter seu e-mail cancelado.

Isso não significa que usar o seu CPF seja 100% seguro, porém na prática ao que tudo indica registar uma chave Pix com seu CPF é o mais sensato a se fazer.

Vantagens do Pix

Seria um exagero dizer que o Pix é um sistema de pagamentos revolucionário, porém há alguns detalhes que podem fazer muita diferença em algumas situações.

Segue abaixo as vantagens de usar o Pix para fazer pagamentos e transferências em relação a TED e Docs:

#O Pix funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana

TED e Docs funcionam apenas em dias úteis, ou seja de segunda a sexta e feriados também são excluídos, e isso pode ser problema para algumas pessoas que em situações específicas precisam realizar transferências em dias não úteis.

#Transferências instantâneas

Uma TED para ser efetivada leva em torno de 1 hora, eu diria que já é rápido, já o Pix leva no máximo 10 segundos.

#Custo zero para pessoas físicas

Outro ponto positivo é a determinação do Banco Central em zerar taxas para a cobrança para pessoas físicas. Isso significa que apenas pessoas jurídicas (empresas) talvez irão ter que pagar taxas, conforme o banco utilizado.

#Muito mais simples e prático

Pessoalmente esse é o ponto que eu mais gostei: usando o Pix, ao fazer uma transferência para outra pessoa você não precisa mais digitar CPF, nome, banco, número da agência e conta do beneficiário.

Basta digitar a chave Pix, o valor e pronto, operação concluída.

#Outros benefícios

O Pix com as vantagens acima, também pode acabar trazendo outros benefícios diretos e indiretos para pessoas, empresas e até mesmo para os próprios bancos. Estima-se que ao longo do tempo, conforme mais pessoas comecem a usar o Pix, o uso de dinheiro em espécie caia e que com isso o custo de logística (transporte e segurança) do dinheiro também diminua.

Também pode-se considerar que com a maior agilidade, praticidade e diminuição de custos para bancos e usuários, vai haver novas oportunidade e mais desenvolvimento econômico para toda a sociedade ao longo do tempo.

O Pix é seguro mesmo?

Muitas pessoas imaginam que o Pix foi criado pelo governo ou estado, porém quem criou, planejou e implementou todo o sistema Pix foi o Banco Central.

Caso você não saiba o Banco Central é a autoridade máximo que controla e supervisiona todo o sistema financeiro e bancário do nosso país, isso significa na prática que esse órgão possui uma grande responsabilidade, sendo assim você pode ficar tranquilo que o sistema Pix é muito seguro.

Porém como tudo na vida, podem ocorrer golpes ou fraudes envolvendo não só o Pix, mas qualquer outro tipo de meio de pagamento.

Você pode seguir essas dicas que irão ajudar a diminuir as chances de cair em algum golpe envolvendo sua conta bancária e o sistema Pix:

#Cuide do seu celular.

Se você tem o aplicativo do seu banco instalado no seu celular é muito lógico que você deve tomar o máximo de cuidado para não ter seu aparelho roubado, perdido e também não é uma boa ideia emprestar seu celular para ninguém, nem que seja por alguns minutos.

Além de usar uma senha segura para acessar o app do seu banco, uma senha forte de desbloqueio da tela do celular também é essencial.

#Não clique ou visite links e sites suspeitos

A forma mais eficiente de se envolver em uma fraude com seus dados financeiros é clicando em sites ou links suspeitos que você recebe em seu e-mail ou em conversas do WhatsApp.

Lembre-se que bancos jamais pedem sua senha de acesso para absolutamente nada via telefone ou e-mail.

#Não informe seus dados pessoais

É comum muitas pessoas gostarem de ostentar em redes sociais, às vezes até mesmo mostrando pistas importantes de sua vida, e isso é um fato que golpistas adoram.

Evite comentar e mostrar sua vida financeira e pessoal na internet.

#Abra conta em bancos conhecidos

Temos em torno de 5 bancos grandes no Brasil e dezenas de outro pequenos, além de instituições financeiras que estão autorizadas a fazer pagamentos e transações financeiras.

Porém alguns apps e serviços financeiros como o PicPay possuem uma alta taxa de reclamações envolvendo erros e graves falhas tais como desaparecimento de dinheiro ou transações não realizadas.

Embora de modo geral o PicPay seja considerado um app relativamente seguro, eu não recomendo deixar todas suas economias em uma Fintech.

Meu conselho é criar conta em algum banco tradicional como Itaú ou Bradesco para guardar suas economias e investimentos e abrir conta em banco digital confiável como o Banco Inter ou C6 Bank para pagar suas contas.

Quando se fala em dinheiro e segurança, “nunca é bom deixar todos os ovos na mesma cesta“.

Conclusão

Bancos e governos raramente criam algo de grande valor para a sociedade, porém dessa vez eu tenho que concordar que o Pix foi um sistema muito bom criado pelo Banco Central.

Transações instantâneas e com custo zero para pessoas físicas é sem dúvida um grande avanço e que aproxima muito mais pessoas de possuírem acesso a produtos bancários, além de muitos outros benefícios que serão criados com o passar dor anos.