IOF: O que é, como é Cobrado e Como Pagar Menos

Saiba o que é o IOF, como funciona, suas alíquotas e como pagar menos.

Você, meu caro leitor Brasileiro, já deve estar acostumado a pagar imposto até mesmo quando respira (exagero, mas não falta muito) e com certeza já ouviu falar na extinta e odiada CPMF que era um imposto incidente sobre operações financeiras, certo?

Apesar de felizmente terem acabado com esse imposto, outro tributo ficou em evidência, essa “contribuição” como a Receita Federal costuma chamar seus impostos, se chama IOF.

Mas o que realmente é o IOF, e quando é cobrado? Continue lendo esse artigo e logo abaixo você vai descobrir tudo que precisa saber em detalhes.

O que é o IOF, e quando é cobrado?

O IOF é um imposto muito parecido com a antiga e extinta CPMF, sendo um imposto que incide sobre alguns tipos específicos de movimentação financeira, que incidem na compra ou venda de alguns determinados ativos ou operações financeiras.

A alíquota do IOF, vai depender do tipo de operação, porém são apenas duas alíquotas: 0.38% ou 6.38%.

E podem incidir em diversos tipos de operações, sendo essas as principais:

  • Compras internacionais com cartão de crédito ou débito – 6.38%
  • Operações de câmbio (compra de moedas) – 6.38%
  • Juros do cartão de crédito e cheque especial – 0.38%
  • Empréstimos e financiamentos – 0.38%
  • Alguns investimentos – 0% a 96%

Muito provavelmente você deve pagar IOF inúmeras vezes durante o ano e nem deve ter percebido…

IOF no mundo dos investimentos

Nossos “queridos” políticos e burocratas possuem uma enorme criatividade na hora de cobrar impostos, e uma dessas “criações” é o IOF regressivo que incide em alguns investimentos como o Tesouro Direto ou CDBs.

Existe uma regra bem clara e específica que pode cobrar IOF nesses tipos de investimentos: se você investir por exemplo no Tesouro Direto e fizer um resgate em um curto período de tempo, pode incidir IOF conforme o tempo do investimento:

  • Abusivos 96% de IOF sobre o rendimento se o investimento for resgatado em 1 dia útil.
  • Cai para 93% após 2 dias úteis.
  • 90% para 3 dias úteis.
  • 86% para 4 dias úteis.
  • 83% para 5 dias úteis.
  • E vai caindo para 3% sobre o rendimento de investimentos até 30 dias úteis.
  • Depois de 30 dias úteis felizmente não é cobrado IOF.

O IOF para investimentos é um verdadeiro “pega bobo”, pois foi criada uma regra criativa com alíquota extremamente abusiva para alguns poucos investimentos de curtíssimo prazo.

O lado positivo é que praticamente nenhum investidor vai investir em CDBs ou Títulos do Tesouro Direto para resgatar em menos de 30 dias úteis.

Porém cabe destacar a importância para esse detalhe: se você investir em alguma aplicação com incidência de IOF, tenha muito cuidado para não resgatar antes dos 30 dias úteis, pois esse tributo vai engolir seus rendimentos.

Como calcular o IOF?

Primeiro você precisa saber se em determinada movimentação financeira incide IOF ou não.

Por exemplo ao investir em CDBs há a incidência de IOF para operações com resgate de 30 dias úteis ou menos, já no caso de investimentos em ações, não existe cobrança de IOF em nenhum caso.

Já para compras internacionais via cartão de crédito ou débito são cobrados expressivos 6.38%. Isso significa que em uma compra de um produto ou serviço de $100, serão cobrados $6.38 de IOF.

Já no cheque especial a alíquota de IOF é de 0.38%, sendo assim se você movimentar R$100, irá pagar “apenas” 38 centavos.

IOF para viagens e compras internacionais

Como foi citado logo acima, existe uma taxa de 6.38% de IOF para compras e transações usando cartão de crédito ou débito internacional.

Isso significa que: se você possui um cartão de débito pré-pago internacional, você paga 6.38% de IOF para adicionar fundos no cartão e paga novamente a mesma taxa quando for gastar usando seu cartão internacional.

Felizmente existe uma alternativa para “escapar” desse IOF abusivo:

Cartão de débito do C6 Bank

É quase certo que você conhece os famosos bancos digitais como o Nubank ou Banco Inter, mas para nossa felicidade existe outro jogador conhecido como C6 Bank que disponibilizou uma ótima solução para quem faz compras internacionais.

Um cartão de débito com IOF de apenas 1.1%.

É isso mesmo, ao invés de pagar 6.38% de taxa de IOF, você pagará somente 1.1%. Os únicos pontos negativos são o custo do cartão que é de $30 (taxa única), e o valor mínimo de depósito que é de 100 dólares.

Mesmo assim é muito vantajoso abrir conta nesse banco digital, mesmo que seja só para usar o cartão internacional.

Conclusão

Em 2007 tivemos a extinção da CPMF, porém é claro que o governo soube ser muito esperto (como sempre), e acabou elevando a alíquota para o taxa de até 6.38% para compras com cartão de crédito internacional e operações de câmbio.

E mesmo que você não se preocupe com viagens internacionais ou compras em sites estrangeiros, ainda há a chance de mesmo sem saber, acabar pagando 0.38% de IOF ao entrar no cheque especial ou ao fazer um empréstimo.

Felizmente existem iniciativas como a do C6 Bank que ajudam a diminuir os custos de algumas operações.