Fundos de Investimento: Por que você deve Ficar Longe

Descubra por que não vale a pena investir na maioria dos fundos de investimento e suas melhores opções de investimento

Você procura facilidade e praticidade para investir e fazer seu dinheiro render sem tantas preocupações ou tempo gasto? Talvez os fundos de investimento sejam a alternativa ideal para você.

Mesmo no Brasil onde a quantidade de investimentos é “limitada” se for comparada com a situação de países como os EUA, para a grande maioria dos investidores iniciantes, escolher os melhores tipos de investimentos ainda não é tarefa fácil.

Aprender a investir e ter a melhor rentabilidade possível é algo que leva um certo tempo e estudo (nada que seja muito difícil), se você é uma dessas pessoas com dinheiro para investir, mas não possui tempo e muito menos paciência, fundos de investimento podem ser a sua solução.

Nesse artigo você vai aprender:

  • O que são e como funcionam os fundos de investimento.
  • Como investir em fundos.
  • Suas vantagens e desvantagens
  • Riscos de se investir
  • Se vale a pena ou não investir em fundos
  • E os melhores fundos de investimento

O que são fundos de investimento e como funcionam?

Antes de se aventurar no primeiro fundo de investimento que aparecer, é fundamental entender o que de fato são fundos de investimento.

Os fundos de investimento, de modo resumido são aplicações administradas por bancos ou grandes gestores que “coletam” dinheiro de seus investidores com a finalidade de investir esses recursos diferentes tipos de aplicações como ações, títulos do tesouro, ETFs, ou diversos outros tipos de investimento.

Em outros palavras fundos de investimento são uma espécie de condomínio onde é reunido o dinheiro de investidores com a finalidade de gerar lucros e rendimentos para seus investidores.

Quais são os principais tipos de fundos de investimento?

Existem dezenas ou centenas de tipos de fundos de investimento, sendo que os principais são:

  • Fundos de renda fixa.
  • Fundos de ações.
  • Fundos multimercados.
  • Fundos cambiais.
  • Fundos de imóveis.
  • Entre muitos outros.

Como o nome indica, os fundos de renda fixa aplicam o dinheiro dos seus investidores em investimentos como CDBs, LCI, LCA, títulos do tesouro, etc.

Fundos de ações, investem em ações de várias empresas.

Os fundos multimercados, são uma combinação de investimento em renda fixa, variável e talvez alguns outros.

Já os fundos cambiais investem em moedas e ganham com a valorização das mesmas.

E fundos de imóveis, nem preciso explicar que investem no ramo imobiliário.

Como investir em fundos de investimento

Há duas formas para investir em fundos de investimento:

#1. Usando seu banco

Praticamente todos os bancos oferecem a possibilidade de investir em diversos tipos de fundos de investimentos para seus correntistas. Apesar de oferecem inúmeros fundos de investimentos com diversos nomes “bonitos”, a maioria possui rentabilidade e taxas parecidas.

#2. Através de uma corretora – opção recomendada

Investir através de uma corretora é disparada a melhor opção para investir em bons fundos de investimento. A maioria das corretoras oferecem fundos de investimento com taxas e rentabilidades bem mais atrativas do que as comparadas aos bancos.

Investir através de uma corretora é muito fácil e simples:

  1. Escolha uma corretora boa e confiável
  2. Faça o cadastro
  3. Acesse sua conta e escolha os melhores fundos de investimento.

Existem muitas corretoras, mas as melhores e mais confiáveis na minha opinião, são essas:

Existem muitas outras corretoras, porém essas são as melhores. Para se cadastrar, basta preencher todos seus dados e em média após poucos dias úteis você estará apto a investir em fundos de investimento.

Principais vantagens e desvantagens

A maior vantagem em investir em bons fundos de investimento é a praticidade e facilidade em ter acesso a investimentos mais amplos com um rentabilidade maior que a poupança ou renda fixa.

Pessoas com alta renda e muito dinheiro sobrando para investir que não querem perder tempo selecionando ações ou outros tipos de investimento, podem se beneficiar em investir em fundos de investimento.

Porém as vantagens acabam por aqui, pelo menos para a grande maioria dos fundos de investimento oferecidos em grandes bancos e até mesmo na maioria das corretoras.

Com a exceção de fundos imobiliários (explico sobre isso logo abaixo), as desvantagens são várias, pelo menos para os mais comuns fundos de investimentos:

#1. Taxas

As taxas variam muito de um fundo de investimento para outro, porém como regra geral a maioria cobra uma taxa mínima de 0.5% até + de 2% que é descontada sobre o rendimento do fundo.

Isso significa na prática que um fundo que rendeu 10% em um ano pode render líquido apenas 8% após ser descontada uma taxa de administração de 2%, isso no longo prazo é muito coisa.

Para piorar alguns fundos mais “espertos” ainda fazem a gentiliza de cobrar “taxa de performance”. Como exemplo, um fundo pode cobrar uma taxa de performance de 20% sobre o ganho que exceder 8% ao ano ou CDI + 6% ao ano.

Alguns poucos fundos ainda decidem cobrar uma taxa de retirada: sim você paga uma “pequena” taxa para resgatar seu investimento.

Se já não parece ruim, ainda pode ficar pior: ainda temos o imposto de renda sobre ganho de capital. Esse é um imposto que não tem como escapar:

  • É automaticamente descontado 22.5% sobre investimentos em prazo inferior a 180 dias.
  • Ou 15% após 2 anos.

O imposto de renda é uma regra determinada pelo governo, incide sobre todos os fundos de investimento, com algumas poucas exceções.

Riscos de fundos de investimento

Os riscos de se investir em fundos de investimento é muito parecido a qualquer outro investimento:

  • Riscos de crédito ou calote.
  • Riscos externos e internos (pandemias, crises políticas, etc).
  • Risco de má gestão do próprio fundo.
  • Etc, etc.

Vale a pena investir em fundos de investimento?

Com a exceção de fundos imobiliários e de mais alguns outros, não vale a pena investir em fundos de investimento.

E porque não vale a pena investir em fundos?

Por dois grandes motivos:

#1. As taxas e o IR comem boa parte da sua rentabilidade

No mundo dos investimentos, conseguir ganhar algo entre 8% a 15% de rentabilidade ao ano, é considerado um número muito bom que pode enriquecer os investidores com mais paciência.

Agora imagine que ao investir em um fundo com uma boa rentabilidade de 10% ao ano, você tenha descontado 30% de sua rentabilidade em taxas além do imposto de renda?

Essa é a realidade da maioria dos fundos de investimentos de bancos grandes como Itaú, Bradesco ou Caixa Econômica. Claro que existem alguns fundos com taxas mais baixas, mesmo assim esse é um custo que você pode e deve evitar.

#2. Você pode ganhar muito mais investindo por conta própria

Um exemplo do motivo de isso ser verdadeiro: ao se investir em ações, todos os seus dividendos são livres de imposto e você só vai ter que pagar imposto de renda se vender mais de 20 mil reais em um mês e tiver ganho de capital.

Ou seja, ao se investir diretamente em ações você paga zero de imposto de renda e vai gastar no máximo uns trocados de corretagem, sendo que muitas corretoras nem cobram essas taxas.

Não pagar nada de imposto de renda e quase zero de taxas, já seria o único motivo para ficar longe de fundos de investimento.

Fundos imobiliários, os únicos que você deve investir

Fundos imobiliários, podem ser considerados a oitava maravilha aqui no Brasil. Assim como os dividendos das ações são livres de imposto de renda, o mesmo acontece no fundos imobiliários.

Você pode comprar cotas de fundos imobiliários investindo apenas R$100 e ganhar “aluguéis” todos os meses com muita segurança.

Curiosidade, qualquer bom fundo imobiliário já bate a rentabilidade da maioria dos fundos de investimento oferecidos na maioria dos bancos.

Quais são os melhores fundos de investimento?

Sendo bem honesto, com a exceção de fundos imobiliários, não tenho um único centavo investido em fundos de investimento.

Porém como falei logo acima, para a felicidade dos investidores temos os fundos imobiliários (Fiis).

Esses são fundos que investem em imóveis, de modo direto ou indireto.

Existem vários tipos de Fiis:

  • Imóveis físicos como shoppings, galpões logísticos, lajes corporativas, etc.
  • Fundos de “papéis”
  • Fundos de fundos de imóveis – um fundo que investe em outros fundos (FOF).

Os fundos que oferecem maior segurança aliada a boa rentabilidade são os fundos de papéis e os famosos FOFs.

O mercado de fundos imobiliários, tem crescido muito no Brasil, sendo que no momento há mais de 200 Fiis listados na bolsa de valores.

Minha recomendação: estude fundos imobiliários de papel, FOFs e de galpões logísticos.

Estude e aprenda a montar seu próprio fundo de investimento (ganhando bem mais)

Na prática, (não é exagero meu), você ao investir em fundos de investimento, está pagando caro para alguém administrar e investir seu próprio dinheiro.

Por que pagar caro para alguém investir em ações ou títulos do tesouro se você mesmo pode investir com bastante facilidade e segurança e ainda por cima com rentabilidade muito maior?

Aqui vai um artigo passo-a-passo para investir em ações e outras boas opções de investimento.