Debentures: Tudo que Você Precisa Saber

Descubra o que são e como funcionam as debêntures.

Muitas pessoas tem se perguntado se existe algum tipo de investimento com rentabilidade superior à poupança, mas com baixo risco?

Sim, existem algumas opções, uma delas são as debêntures e é isso que irei explicar detalhadamente nesse artigo.

O que são debêntures e como funcionam?

Debênture é um nome não muito amigável para o investimento em títulos de dívidas de empresas privadas. De um modo resumido: ao investir em um CDB, por exemplo, você está emprestando dinheiro para seu banco com uma rentabilidade pré-acordada.

Já ao investir em debêntures você está emprestando dinheiro para um empresa privada e vai ser pago com juros após a data de vencimento do seu investimento.

Porque as empresas emitem debêntures?

Simplesmente por que é uma  das melhores formas de captar dinheiro com “juros” baixos e com risco mínimo. Ao invés de pagarem juros altos em um empréstimo para um banco, é melhor para essas empresas emitirem debêntures para investidores interessados.

É um jogo onde a empresa e investidores ganham juntos.

Principais tipos de debêntures

Existem diferentes tipos de debêntures, que possuem algumas caraterísticas que os diferem entre si:

  • Debêntures conversíveis: como o nome sugere, em algum momento, dependendo da situação da empresa, podem ser convertidos em ações, além de o investidor ganhar juros.
  • Debêntures simples: é o tipo mais comum e o investidor é remunerado somente com juros sobre o dinheiro investido e em nenhuma hipótese elas podem ser convertidas em ações.
  • Debêntures incentivadas: é o melhor tipo de debênture para o investidor, foram criadas com o objetivo principal de captar recursos para o desenvolvimento de infraestrutura para o país. Os investidores tem isenção no Imposto de Renda.

Existem outros tipos de debêntures, mas que são bem mais raras de ser encontradas para o investidor, e que se tornam irrelevantes.

Como é o rendimento das Debêntures?

O rendimento das debêntures acontece de forma parecida com o investimento em CDBs.

Praticamente em todas as situações o investidor é remunerado nas seguintes condições.

  • Debênture pré-fixada: o investidor recebe uma rentabilidade que já é pré-fixada no momento da compra. Exemplo: 6% ao ano.
  • Debêntures pós-fixadas: paga uma porcentagem da taxa CDI.
  • Debêntures híbridas: o investidor recebe um valor pré-fixado mais um remuneração atrelada ao CDI ou IPCA (medidor da inflação). Exemplo: 5% ao ano + IPCA ou uma porcentagem fixa do CDI.

Quais são os riscos de se investir em debêntures?

Praticamente o único risco é o de calote. Ou seja, a empresa entrar em falência e não poder assumir suas dívidas.

Evitar essa situação é relativamente simples, não compre debêntures de empresas pouco lucrativas ou que estejam muito endividadas.

Por exemplo, você investiria em debêntures de uma empresa como a Oi (oibr3) que possui mais de 12 bilhões de reais em dívidas?

Qual a diferença entre debêntures e ações?

Ao investir em ações você está literalmente se tornando sócio de uma pequena fração da empresa, e pode lucrar com valorizações e lucros que são distribuídos (dividendos). Mas também não há garantias e você pode perder dinheiro com desvalorização dos papéis da empresa e até mesmo com uma eventual falência.

Já ao investir em uma debênture você tem uma rentabilidade praticamente 100% garantida, mesmo que a empresa registre prejuízos no período em que emitir essas debêntures.

Realmente vale a pena investir em debêntures?

Em geral não é um tipo de investimento ruim, sendo um pouco melhor que outros investimentos de renda fixa como CDB, LCAs ou LCIs. Porém como tudo na vida, boas oportunidades de debêntures são relativamente raras.

Ao contrário do que acontece com CDBs por exemplo, as debêntures tem uma quantidade limitada de emissão, ou seja, se a empresa pretende captar R$500 milhões, após o valor ser alcançado, não é mais possível investir.

Existem opções melhores de investimento?

Especialmente as debêntures incentivadas com isenção de IR, pode-se considerar um investimento com uma boa rentabilidade e um risco de grau médio a baixo.

Porém o número de debêntures incentivadas é relativamente baixo e com a exceção da isenção de IR, não oferece nenhuma outra grande vantagem se comparadas a CDBs ou outros investimentos de renda fixa de pequenos e médios bancos.

Pessoalmente eu não gosto de debêntures, pois em minha opinião investir em títulos do tesouro direto é mais vantajoso, ainda mais pelo risco muito menor e rentabilidade parecida ou superior.

Outras boas opções de investimentos a se considerar são os fundos de investimento imobiliários e até mesmo o investimento em ações de empresas sólidas com boa distribuição de dividendos.